(03.05.2019) - A Operação Morro Seguro, deflagrada pela Polícia Civil em fevereiro de 2018, no Morro do Caju, bairro Monte Verde, em Florianópolis, resultou na condenação de seis dos oito investigados a penas que ultrapassam os 55 anos de reclusão. O trabalho foi executado pela Cicon (Central de Investigação do Continente) em combate às facções criminosas.

O inquérito policial indiciou 15 suspeitos de praticarem uma série de crimes. No último dia 15 de abril, o Juiz de Direito da Vara Criminal da Região Metropolitana de Florianópolis proferiu a primeira sentença sobre o caso.

Trata-se de uma sentença parcial, pois outros investigados continuam  sendo julgados considerando o desmembramento do processo criminal e o momento que foram denunciados pelo Ministério Público.

A Operação Morro Seguro foi coordenada pelo delegado João Adolpho Fleury Castilho, com a participação de 200 policiais civis das unidades que pertencem às Diretorias da Grande Florianópolis (DPGF), do Litoral (DPOL), do Interior (DPOI), Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC), Inteligência da Polícia Civil (DIPC), do Serviço Aeropolicial da Policia Civil (SAER), com apoio do setor logístico da Acadepol (Academia da Polícia Civil e da 4ª CIA do 4º Batalhão da Polícia Militar.

 

 

O grupo criminoso foi acusado de formar uma verdadeira organização criminosa armada, com a participação de adolescentes; de recorrentemente praticar o crime de tráfico de drogas; porte de arma de diversos calibres, inclusive de uso restrito das Forças Armadas e utilizados em guerras.  Além disso, os enfrentamentos com as forças de segurança não foram poucos. Desde fugas e perseguições na região de mata fechada, até disparos de arma de fogo ocorreram durante as investigações.

Ficou provado que a organização criminosa estava na posse de farto armamento e executou uma invasão no denominado Morro do Mosquito para enfrentar e expulsar uma facção criminosa rival daquela região. Também foram condenados por estarem envolvidos com os crimes de roubos que ocorreram em residências e comércios da região, e pela prática de atentados contra a coletividade em 2018 naquele bairro.

 A sentença

1) CONDENAR o acusado ALDONEI PAIM ao cumprimento, em regime inicial fechado, da pena privativa de liberdade de 12 (doze) anos, 3 (três) meses e 18 (dezoito) dias de reclusão, bem como ao pagamento da pena de multa-tipo de 120 (cento e vinte) dias-multa...

2) CONDENAR o acusado ROBERTT FERNANDO BORGES ao cumprimento, em regime inicial fechado, da pena privativa de liberdade de 9 (nove) anos de reclusão, bem como ao pagamento da pena de multa-tipo de  120 (cento e vinte) dias-multa...

3) CONDENAR o acusado KELVIN BRANCO DOS SANTOS ao cumprimento, em regime inicial fechado, da pena privativa de liberdade de 7 (sete) anos e 6 (seis) meses de reclusão, bem como ao pagamento da pena de multa-tipo de  120 (cento e vinte) dias-multa...

4) CONDENAR o acusado GUSTAVO NEISSINGER ao cumprimento, em regime inicial fechado, da pena privativa de liberdade de 7 (sete) anos e 6 (seis) meses de reclusão, bem como ao pagamento da pena de multa-tipo de  120 (cento e vinte) dias-multa...

 5) CONDENAR o acusado DENYS DA SILVA PORTELA ao cumprimento, em regime inicial fechado, da pena privativa de liberdade de 9 (nove) anos de reclusão, bem como ao pagamento da pena de multa-tipo de  120 (cento e vinte) dias-multa...

6) CONDENAR o acusado LUIZ FELIPE DA SILVA ao cumprimento, em regime inicial fechado, da pena privativa de liberdade de 10 (dez) anos e 6 (seis) meses de reclusão, bem como ao pagamento da pena de multa-tipo de  120 (cento e vinte) dias-multa...

 

Texto e Fotos: Polícia Civil de Santa Catarina

GOVERNO DE SANTA CATARINA
SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA

Avenida Governador Ivo Silveira, nº  1521
Capoeiras  - Florianópolis-SC  - CEP: 88.085-000.

Atendimento ao Público: 13h às 19h.

 Fone: (48) 3665-8100 - Email: gabinetesecretario@ssp.sc.gov.br

2019 SSP/SC. Desenvolvido por DTIC - Divisão de Tecnologia da Informação e Comunicações.

Search